CCJ

notaimprensa

Universidade Federal da Paraíba recebe Prêmio Conciliar é Legal

O Centro de Ciências Jurídicas da Universidade Federal de Paraíba recebeu o VI Prêmio Conciliar é Legal pelo trabalho executado pelo Núcleo de extensão e Pesquisa em Mediação de Conflitos (Mediac). “Foi um projeto de pesquisa que cresceu e virou um núcleo na Universidade. É a realização de um grande sonho”, contou a estudante de Direito Juliana Martins, uma das autoras do projeto.

O trabalho começou em 2011 e foi oficializado pela Universidade em 2013. Hoje conta com a parceria do Ministério Público, do Conselho Tutelar e do Núcleo de Medicina da Paraíba. Todos os dias são atendidas até duas pessoas pelos alunos da universidade, em esquema de plantão. “Fazemos um trabalho extrajudicial, com foco maior em direito de família”, contou a estudante.

VI Prêmio Conciliar é Legal – O Prêmio Conciliar é Legal é promovido anualmente pelo CNJ e tem como objetivo disseminar a cultura dos métodos consensuais de resolução dos conflitos. Concorrem aos prêmios tribunais, magistrados, instrutores de mediação e conciliação, instituições de ensino superior, usuários e empresas, que apresentaram práticas com resultados comprovados.

Receberam o Prêmio, em Brasília, em nome da Universidade, a coordenadora do Mediac, professora Juliana Toledo, e a discente Juliana Martins.

Paula Andrade
Agência CNJ de Notícias

A comunidade universitária (servidores docentes, técnico-administrativos e discentes) da Universidade Federal da Paraíba-UFPB, vem a público, por este instrumento, diante do contexto político nacional atual, externar sua posição sobre o processo de impedimento instaurado contra a Excelentíssima Senhora Presidente da República, Dilma Rousseff, ao tempo em que se compromete  com a defesa da democracia, manifestando-se em favor do Estado Democrático de Direito e do cumprimento da Constituição Federal vigente.

A lei nº 1.079/1950, que regulamenta o processo de impedimento do chefe do Poder Executivo impõe como requisito preliminar e inarredável a existência comprovada de crime de responsabilidade atribuível ao mandatário, cometido no curso do mandato atual. O processo de impeachment da Presidente Dilma Rousseff, em tramitação no Congresso Nacional, padece de um vício originário que o macula de forma definitiva: a falta do crime de responsabilidade, basilar à sua instauração e continuação, assim, nas atuais circunstâncias, não havendo crime de responsabilidade contra a Presidente Dilma Rousseff, está a sociedade brasileira diante de um golpe parlamentar, moderno, sem armas, não somente contra o mandato presidencial legítimo, mas contra a democracia e o Estado Democrático de Direito. Continue lendo

mediacO CCJ parabeniza o MEDIAC – Núcleo de Extensão e Pesquisa em Mediação de Conflitos, na pessoa da professora Juliana Toledo A. Rocha, por esta importante conquista

No âmbito da “ VI Edição do Prêmio Conciliar é Legal”, o Comitê Gestor Nacional da Conciliação do Conselho Nacional de Justiça, informa que aUNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA,  por meio do CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, grupo de pesquisa MEDIAC – Núcleo de Extensão e Pesquisa em Mediação de Conflitos, sob a liderança da professora Juliana Toledo A. Rocha,  foi o vencedor na categoria ENSINO SUPERIOR.

CAROS PROFESSORES E ALUNOS PPGCJ/UFPB

Com muita alegria, convidamos a todos para o Seminário Comemorativo dos 20 anos de existência do nosso Mestrado, que também recepcionará em Seminário Integrador os Mestrandos e Doutorandos de 2016, ingressos em nosso PPGCJ.

Continue lendo